sexta-feira, 29 de junho de 2018

Educandos do Trabalho Educativo aprendem sobre projetos


No último mês, os educandos da informática, do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, estão aprendendo sobre a elaboração de projetos. A proposta foi introduzida pelo educador Fábio Neves modalidade Trabalho Educativo


Os educandos aprenderam a pesquisar, fazer orçamento, criar objetivos e justificativas para os passeios que gostariam de fazer. O objetivo é, através dos recursos da informática, estimular o raciocínio lógico, trabalho em equipe e reconhecimento do projeto no qual estão inseridos.


 “Atuando como protagonistas, os educandos, através de objetivos em comum, projetaram formas de aprendizados diversificados e em ambientes externos e internos ao laboratório de informática”, explicar Fábio Neves.


Educandos da Mecânica Automotiva do Calábria desenvolvem currículos profissionais



Na reta final do curso de Mecânica Automotiva, os educandos participaram da construção de currículos profissionais. Os jovens puderam aprender os principais conteúdos que figuram em um currículo, para terem mais chances de ingressa no mercado de trabalho após a conclusão do projeto social.


A ideia da atividade surgiu dos próprios educandos, que esperam encontrar um espaço no mercado de trabalho para seguir com sua profissão. “Estou bem empolgado em fazer meu currículo, pois pretendo conseguir um emprego na mecânica assim que me formar”, afirma o educando Wellington Militão Krausen.


Vamos pensar no futuro?


No dia 27 de junho, as crianças do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos M1 elaboraram a atividade “Cápsula do Tempo”. Momento que nossos estudantes pararam para pensar o seu futuro e escrever uma carta que só será aberta em cinco anos. Esta atividade é propícia para incutir neles a autorreflexão e o projeto pessoal de vida, também tem a intenção de criar em nossas crianças a esperança e o sonho. Foi um momento singelo e muito bonito!


“Por isso, recomendo a vocês que à noite, quando fizerem o exame de consciência, se coloquem essa pergunta: hoje sonhei com o futuro dos meus filhos? Sonhei com o amor do meu esposo, da minha esposa, sonhei com meus pais e avós que fizeram a história também? É tão importante sonhar. Primeiro de tudo sonhar em uma família. Não percam essa capacidade de sonhar” (Papa Francisco).


Hora do conto e da criatividade no Calábria


No dia 25 e 26 deste mês de junho, no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos M1, houve a “hora do conto”. Momento de motivação à leitura e a arte. Ler, segundo Paulo Freire, não é caminhar sobre as letras, mas interpretar o mundo e poder lançar sua palavra sobre ele, interferir no mundo pela ação.


A partir dos contos, as crianças confeccionaram fantoches, personagens que elas criaram para apresentar um teatro de fantoches com sua própria história. O tema que as crianças elaboraram foi sobre o respeito às diferenças e o bullying. Momento produtivo e divertido no desenvolvimento humano e social dos nossos atendidos.
Confira abaixo imagens que ilustram o trabalho desenvolvido. 


Educandos se expressam através da arte



Os educandos do Projeto Educação Integral – Saberes da Esperança, na oficina de Letramento, foram convidados a produzir mosaicos com EVA a partir de desenhos previamente escolhidos. A proposta desse trabalho é a de incentivar a criatividade, assim como possibilitar aos adolescentes um momento de produção artística prazeroso e de expressão através de outro método, como a linguagem que não a falada e a escrita.


A educadora dar turma Michela explica que a arte é uma expressão considerada como linguagem universal. Através dela, o ser humano é capaz de mostrar as suas opiniões, suas preferências e tendências, assim como também é possível identificar nessas manifestações, inclusive, conteúdos que não costumamos acessar conscientemente, mas que estão armazenados inconscientemente em nós.


Educandos da informática realizam atividade no Paint



Visando desenvolver habilidades motoras e o uso correto dos dispositivos do computador, os jovens do projeto Construindo Futuros do Calábria, da modalidade informática, realizaram desenhos dos diversos componentes do computador no aplicativo Paint.

 

Através da atividade os jovens puderam, ainda, exercitar a criatividade, a coordenação e percepção através do desenho realizado. A atividade foi de bastante interação, desenhos criativos e elaborados. Parte dos trabalhos podem ser conferidos nas imagens.




Jogo de raciocínio e memorização na informática do Calábria


No último dia 28, os educandos do projeto SMED, da modalidade informática, realizaram jogos de raciocínio lógico associados aos recursos do computador.


Chamado de “Segue o Objeto”, a prática reúne os educandos em círculo, onde o jogo inicia com um dos jovens dizendo um objeto qualquer, que deve ser repetido e adicionado a outro objeto pelo colega seguinte.


A ideia é criar sucessivamente uma corrente de objetos que devem ser memorizados pelos demais. Quem errar a sequência tem que responder alguma pergunta relacionada à informática e se errar deve realizar uma tarefa.


“A interação entre os alunos a cada resposta era atentamente observada pelos demais para que não houvesse erro. Os erros serviram para reforçar os conteúdos de informática, através de revisão”, explica o educador da turma José Maciel.

Dê a mão para todas as Cores


No dia 18 de junho, os educandos do Projeto Educação Integral - Saberes da Esperança orientados pelos educadores Denis Biavatti, Michela Carvalho, Graziella Fagan, Jorge Ortis, Rafael Moreira e a Supervisora Andréia Ramires, se reuniram no salão de atos para realizar a formação “De a mão para todas as Cores”.


A atividade estava recheada de dinâmicas tocantes que semearam a compreensão da importância ao combate ao preconceito racial que infelizmente ainda vivemos em nossa sociedade.


Tal questão tomou conta dos debates realizados com os educadores e beneficiários, tornando o dia inesquecível e extremamente produtivo, já que o objetivo foi cumprido com sucesso ao observar depoimentos como os da educanda Mariah da turma M2, que afirma não entender como as pessoas podem julgar uns aos outros pela pele. Além da educanda Laurem Monique da turma M1, que emocionada relatou não se importar com a cor da pele de seus amigos, que os ama independente de suas características.


Trabalho Educativo promove alerta sobre violência


Durante o mês de junho, os educandos do Trabalho Educativo Informática orientados pela educadora Thais Rocha, na modalidade Módulo Básico, abordaram em aula o “tema violência” com foco e reflexões sobre o “homem, sociedade e cultura”, utilizando diferentes metodologias para debater sobre esse assunto tão preocupante e que merece mais atenção.


No dia 26 de junho, os educandos realizaram uma exposição, com o intuito de alertar, protestar e também lembrar as vítimas de torturas físicas e psicológicas. Essa manifestação contou com exposição de cartazes, frases e também fotografias documentando o sofrimento das vítimas, retratadas pelos educandos.


O foco da exposição é totalmente crítico, consiste em impactar, protestar contra a violência que a sociedade ainda alimenta e alertar quanto as diferentes formas de contribuir com essa cultura absurda, visando promover a paz.


“Precisamos e vamos falar sobre violência em qualquer faixa etária, falar sobre as mulheres, homofobia, preconceitos, discriminações, bullying, violência e exploração infantil”, defende a educadora da turma.


De acordo com a Organização Mundial de Saúde, violência é definida como “o uso intencional de força, poder, ameaçados ou reais, contra uma pessoa, contra si mesmo, contra um grupo ou comunidade.

Desafio mágico matemático no serviço de convivência


No mês de junho, a educadora Thais Rocha propôs aos educandos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos alguns desafios lógicos matemáticos. O desafio que as turmas mais gostaram foi o jogo do cálculo misterioso, onde o “educando mágico” adivinha dois números lançados nos dados.


Primeiramente, foi escolhido um educando para ser o mágico e o restante participa como desafiadores. Através de um cálculo estratégico, os desafiadores multiplicam por 2 um dos números sorteados no dado, ao resultado, soma com 5 e multiplica por 5. Após, deve-se somar o resultado com o outro número que saiu no dado. Ao término, informam o resultado ao mágico, para que, com uma técnica simples e infalível, o mágico adivinha os números iniciais sorteados nos dados, sabendo apenas do resultado do cálculo estratégico dos desafiadores.


“Sabemos que o mágico não revela sua habilidade, mas resolvemos te contar esse segredo. O mágico apenas pega o valor passado e subtrai por 25, legal né? Assim, o valor que sair será o número referente aos dois números sorteados nos dados, é só separá-los. Durante a atividade, principalmente nos momentos de adivinhação do “educando mágico”, foi possível observar a satisfação quanto ao estímulo do espírito de descoberta”, comenta a educadora.


Thais Rocha enfatiza, ainda, que atividades que estimulam o raciocínio lógico-matemático com jogos aumentam a satisfação dos educandos durante a aprendizagem, propiciando um ambiente mais interessante e prazeroso. Assim, o jogo já algum tempo é considerado uma ferramenta importantíssima para o desenvolvimento das habilidades matemáticas.


Educandos utilizam ferramentas de auxílio à alfabetização



No projeto Educação Integral – Saberes da Esperança, durante a oficina de Letramento, os educandos contam com a utilização de algumas ferramentas pedagógicas para facilitar o processo de alfabetização e fixação desses conhecimentos durante as aulas. Uma dessas ferramentas é o alfabeto móvel, que permite que a criança ou o adolescente visualizem de uma forma mais concreta e dinâmica as construções de palavras e frases, para, posteriormente, serem capazes de escrevê-las no papel.


A alfabetização é um processo que ocorre em várias etapas e uma das mais importantes é o conhecimento do alfabeto por parte do educando. A associação do som correspondente a cada letra, assim como a construção das famílias silábicas é um processo que demanda tempo e exige trabalho por parte do educando e, igualmente, por parte do educador que acompanha esse processo.


quinta-feira, 28 de junho de 2018

Trabalho Educativo Artesanato fala sobre marketing de produto



No mês de junho, os educandos do Trabalho Educativo Artesanato, na modalidade Módulo Básico, com orientação da educadora Thais Rocha, abordaram em aula a temática “Marketing de Produto” com a intenção de incentivar o protagonismo, aproximá-las da visão empreendedora e a promoção da valorização do seu trabalho. Junto à educadora, realizaram pesquisas e apresentaram slides sobre o tema de forma interativa para partilhar as ideias com o grupo.


De acordo com as educandas, foi possível compreender a importância de acreditar no produto, identificar o público alvo, as necessidades do cliente e os benefícios do produto para deixá-lo ainda melhor, pois a venda impulsiva como a educadora nos explica, deve ser vendida como uma ideia e não apenas como um produto qualquer a ser consumido.
Quando falamos em marketing já pensamos em um conjunto de ações estratégicas para deixar algo conhecido. Com possibilidade de alcançar novas tendências para atrair e interagir mais com os clientes, surge o marketing de produto, que são técnicas e formas de conectar pessoas e produtos através do marketing.


Jovens do Trabalho Educativo aprendem receitas típicas da estação



Com a chegada do inverno, os educandos, através do educador Jorge Ortis, da oficina de Lanches Rápidos, do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Calábria, aprenderam a elaborar diversas receitas típicas da estação mais fria do ano, como canjica, bolos, batata doce assada, milho verde e pinhão.


As receitas foram abordadas de forma teórica, onde observou-se peso e medida de cada ingrediente para, então, aplicar-se metodologia de aplicação e execução para a produção dos alimentos, onde foi utilizado o fogão e forno de barro para aquecer.
“O maior bem que a união pode fazer não é alimentar um estomago vazio ou vestir um corpo castigado pelo frio, mas sim o amor coletivo que alimenta a alma e aquece o coração”, defende o Jorge Ortis.