sexta-feira, 2 de junho de 2017

SASE aventurando pesquisa de campo

Durante o mês de maio, os educandos do SASE do Centro de Cuidados SJC, orientados pela educadora Thais Rocha, realizaram uma pesquisa com os beneficiários, educandos e colaboradores da Instituição. A educadora propôs que elaborassem perguntas pessoais sobre depressão, discriminação, bullying e suicídio. No dia 29 de maio, os educandos realizaram a análise dos dados estatísticos e debateram os resultados.


De acordo com eles, foram entrevistadas 100 pessoas e o resultado foi surpreendente. Em entrevista, foram realizadas as seguintes perguntas:

A - Alguma vez você já se sentiu discriminado?
B - Você já sofreu ou praticou bullying?
C - Bullying é uma forma de preconceito e violência?
D - Você já se sentiu tão triste a ponto de ter um pensamento suicida?
E - Você conhece alguém que sofra de depressão?



Conforme estatística, 58 pessoas já sentiram-se discriminadas, 81 pessoas já sofreram ou praticaram bullying; 92 pessoas têm consciência de que bullying é uma forma de preconceito e violência, sendo um crime; 87 conhecem alguém que sofre de depressão e apenas três relatam que já tiveram depressão.


No dia 30 de maio, os educandos concluíram a atividade com cartaz expondo os dados.



Um dos objetivos de trabalhar com pesquisa de “campo” é contribuir com o processo de desenvolvimento da autonomia dos educandos do SASE. Retirar o aluno de uma postura mais passiva, é dar asas à liberdade com responsabilidade, pois tratou-se de uma atividade de abordagem de extrema importância. Além do mais, a pesquisa de campo também contribuiu com o raciocínio matemático e linguístico.


Fonte: SASE

Nenhum comentário:

Postar um comentário