segunda-feira, 29 de junho de 2015

Formação no CDI traz o tema Filhos do Céu

A equipe de Pastoral do Calábria, como de costume, esteve no Centro Dia do Idoso, para a formação mensal com os idosos. Neste mês de junho, a equipe preparou a formação com o tema "Filhos do Céu", buscando trabalhar o conceito de finitude da condição humana. Libanês, coordenador da Pastoral, em sua orientação, disse que todos os dias ao acordar a única certeza que temos é a de que "Somos filhos do céu”. 


Neste sentido, entende-se que não pertencemos a este mundo. Por isso, é tão necessário construir uma história e deixar um legado, para que outros possam viver e seguir os bons exemplos deixados. Após estas orientações, todos foram convidados a assistir ao vídeo Filhos do Céu com Padre Fábio de Melo.



Num segundo momento, Libanês resgatou a história do Irmão Francisco Perez, um dos primeiros religiosos da Obra Calabriana. Francisco, que era um conde muito rico, com título de nobreza, fez-se pobre para os pobres. Foi um homem que viveu plenamente a pobreza evangélica, e que aceitou a morte como uma irmã. Estava preparado e entregou sua alma nos braços D'Aquele a quem ele serviu com alegria. 


O formador mencionou que, segundo relatos, todos os que tiveram a oportunidade de conviver com Irmão Francisco Perez não sabiam se transmitiam pêsames ou felicitações, pois Francisco viveu de forma plena sua fidelidade aos planos Divinos e transmitiu somente o bem. Por onde passou, deixou seu exemplo que é seguido por muitos ainda hoje. São João Calábria ao anunciar o falecimento aos irmãos disse que foi a morte mais linda e tranquila que ele já havia presenciado.


Após a formação, os presentes foram convidados a plantar algumas sementes de girassol em uma casca de ovo. Tanto o ovo quanto a terra que farão germinar a semente simbolizam os instrumentos de vida, e o girassol é esta vida, que ao nascer, crescerá, frutificará e um dia retornará à terra, voltando a germinar, um ciclo, com início, meio e fim!

“Cabe a nós dar um sentido diferente para determinar as nossas histórias e permanecer na lembrança de todos”, concluiu Libanês.


Fonte: Pastoral

Nenhum comentário:

Postar um comentário