sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Mendicância: dar ou não dar dinheiro na sinaleira?


 
Cena cotidiana em nossas rotinas: paramos na sinaleira e logo vem "um gurizinho ou guriazinha" pedindo uma moedinha para comprar um lanche. Geralmente nos sensibilizamos e acabamos por "dar uma ajudinha, afinal de contas que mal faz dar uma moedinha?". O que não nos damos conta é que ao alimentarmos esse círculo de mendicância, acabamos por contribuir/perpetuar toda uma rede de violação de direitos contra a criança e o adolescente, que estão ali expostos a riscos e vulnerabilidades.

As grandes cidades oferecem diversas atividades, como escolas em turno integral, atendimento no turno inverso à escola, serviços de saúde e espaços de lazer e recreação. Porém, as mesmas cidades que acolhem também são as que mais segregam e apresentam algumas das maiores disparidades em termos de saúde, educação e oportunidade para crianças e adolescentes. Isso faz com que muitas famílias vivam em condições precárias, com direitos violados, chegando a situações extremas. Muitas vezes, essas famílias acabam em situação de rua, pois têm que escolher entre morar ou comer.

A equipe Técnica do Ação Rua atua junto a essas famílias, fortalecendo suas potencialidades e trabalhando sua autonomia. A Assistência Social evoluiu muito. Com a implantação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) muito já se avançou, mas tem-se consciência da necessidade de medidas que atuem diretamente no enfrentamento à miséria, e principalmente programas de capacitação e qualificação profissional voltados às necessidades e possibilidades dos usuários da assistência.

Mas, voltando às moedinhas da sinaleira, fica um alerta: "não dê moedas e alimentos"! Com este gesto, certamente cheio de boas intenções, estaremos colaborando com situações de rua moradia, infrequência escolar, além dos riscos a que estas crianças e adolescentes ficam expostos.

Jacqueline Sampaio
Assistente Social do Ação Rua Calábria

Nenhum comentário:

Postar um comentário